O sonho de uma criança que pinta corações na janela: foi este o chamado para a atriz Karina Duarte criar a ONG A Arte Salva e levar cores, alegria e esperança ao Jardim Gramacho, umas das regiões de maior vulnerabilidade social do estado do Rio de Janeiro. Onde escasseiam água, comida, saneamento básico e educação, não faltam talento, vida e vontade de arte – e é por meio dela que a ONG segue transformando a realidade de centenas de crianças e adolescentes desde 2015. 

Karina Duarte, fundadora da ONG A Arte Salva, com as artistas de Jardim Gramacho 

Karina Duarte conta que a ideia da fundação da Arte Salva é diretamente ligada ao pequeno pintor dos corações na janela, Bryan Pinheiro. Karina o viu pela primeira vez em 2012, quando participava de uma ação social em Jardim Gramacho. Na época, o menino tinha apenas 3 anos. Dois anos depois, ela retornou à região e encontrou Bryan novamente – mas, desta vez, ele tinha uma nova história para contar. Sua família tinha ganhado uma casa do projeto TETO e, durante a pintura, Bryan ficou encantado e pediu para pintar corações na janela. Como assinatura, o menino decalcou suas mãos ao lado da frase “Superar e acreditar que limites não existem”. Karina não só elogiou a obra de arte como disse a Bryan que ele era um artista – o suficiente para que, a partir dali, ele sonhasse em receber telas e tintas de presente do Papai Noel no próximo Natal. 

Foi assim, então, que a Arte Salva nasceu. Karina divulgou alguns vídeos na internet e conseguiu a doação de 60 telas do projeto Favelarte, além do apoio de Sônia Magalhães, Fernanda Ferreira e do rapper e ativista MV Bill. Estava montado o primeiro “aulão” – um formato criado para levar oficinas criativas de artes visuais até as crianças e adolescentes de Jardim Gramacho. Daí em diante, os aulões foram acontecendo periodicamente, como explica Karina: “nesses momentos as crianças participaram ativamente, explorando suas capacidades artísticas com a produção de telas. Os aulões foram ministrados por voluntários e profissionais experientes que se dispunham a ensinar os princípios da pintura. Paralelamente também ocorriam oficinas de contação de histórias, esportes, música, dança e artes circenses. As crianças receberam lanches, brinquedos e material escolar. Desde seu início, para a participação das crianças, a Arte Salva conta com a autorização e o cadastramento feito pelos pais e responsáveis. Hoje temos um acervo com 400 obras de artes”. 

Crianças durante um aulão de pintura promovido pela Arte Salva em Jardim Gramacho

Os desafios de Jardim Gramacho

Até 2012, Jardim Gramacho era o maior lixão da América Latina. Com o fechamento do aterro sanitário, pouca coisa mudou na realidade da região. Além de ter uma alta taxa de mortalidade infantil, Jardim Gramacho apresenta o maior índice do Brasil de gravidez na adolescência. Não há saneamento básico, energia elétrica e vagas suficientes nas escolas próximas – agravando ainda mais a desigualdade social e a pobreza extrema do local. “A Arte Salva nasceu nesse contexto, cheio de desafios e carências, porém observou a necessidade e a possibilidade de desenvolver os potenciais artístico-culturais das crianças e jovens, principal público-alvo. O projeto cresceu e se tornou fundamental para a vida desses pequenos cidadãos: buscamos promover o acesso e o direito à educação, à liberdade de expressão por meio da arte, acreditando na transformação através das cores”, salienta Karina Duarte.

Há 5 anos a Arte Salva leva cor, educação e alegria às crianças e adolescentes de Jardim Gramacho

A parceria com a Retornar e os planos para o futuro

O trabalho desenvolvido pela Arte Salva nesses 5 anos ganhou o apoio de muitos artistas famosos, como MV Bill, Eunice Baia, Hélio de La Peña, Mariana Ximenes, Babu Santana, Carla Salle, Antônio Pitanga e Osmar Prado. A ONG, no entanto, segue firmando colaborações para que a instituição, que não tem fins lucrativos, continue atuando na região. É neste sentido que a parceria com a Retornar é de grande importância para o estabelecimento de uma sede para o projeto em Jardim Gramacho. “Para nós está sendo um prazer saber que podemos contar com a Retornar e que o ano que vem a gente vai estar aqui com a nossa escola de artes integradas, com artes visuais, cinema, hip-hop, tudo o que Deus permitir” – relata Karina Duarte em frente à futura sede da ONG, que será comprada com o apoio da Retornar. 

Os planos futuros da Arte Salva também envolvem a instalação de outra escola de artes integradas em São Paulo e o desenvolvimento de projetos de empreendedorismo social, trazendo renda e visibilidade ao projeto. 

Para saber mais sobre A Arte Salva, acompanhe a ONG nas redes sociais: @aartesalva

Créditos das fotos: Igor Albuquerque (@voz_dasruas)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.